Uma das dúvidas que geram receios entre a comunidade médica e pacientes que poderiam se beneficiar da cannabis medicinal é a procedência dos medicamentos.

Saiba quais elementos comprovam a qualidade de um produto à base de cannabis medicinal.

O que um produto à base de cannabis medicinal deve ter para ser comercializado.

Cultivo natural – a cannabis sativa é plantada em estufas apropriadas.

A qualidade do produto será superior se o cultivo for feito sem fertilizantes e pesticidas sintéticos.

Indicação dos níveis de CBD e THC – ambas são substâncias presentes na cannabis sativa e têm propriedades medicinais.

Os índices de THC são controlados de acordo com as leis de cada país, sendo que o máximo permitido em produtos varia de 0,2% a 0,3%.

Diversos medicamentos usam apenas o CBD nas fórmulas. Os rótulos dos produtos devem conter a concentração de cada substância.

Embasamento em pesquisas – universidades, laboratórios e indústria farmacêutica de vários países realizam estudos e apresentam resultados para atestar a eficácia dos tratamentos com a cannabis medicinal, além de apoiar o avanço na produção de medicamentos.

Um exemplo é a CiiTech, uma empresa de biotecnologia especializada em cannabis medicinal, que trabalha em parceria com a Universidade Hebraica de Jerusalém, considerada padrão ouro em pesquisas nesse setor. A CanTera tambem trabalha com produtos produzidos pela CiiTech.

Testes por certificadoras autônomas e pelo governo – antes de serem liberados para consumo, os produtos são testados rigorosamente para evitar toxicidade, além de garantir a qualidade e segurança do produto à base de cannabis medicinal.