Afinal, o que é o canabidiol, ou CBD?

Entenda como a molécula funciona no corpo humano nesta tradução autorizada de um trecho do livro ‘Sinais de Fumaça: Uma História Social da Maconha – Médica, Recreativa e Científica’.

O canabidiol (CBD) é um composto natural encontrado na resina da flor fêmea da cannabis, uma planta com uma rica história como medicamento que remonta ao menos 5 mil anos. Hoje, as propriedades terapêuticas do CBD estão sendo testadas e confirmadas por cientistas e médicos em todo o mundo.

Uma substância segura e não viciante, o CBD é um dos mais de cem “fitocanabinoides”, exclusivos da maconha e confere à planta seu perfil terapêutico amplo.

O CBD está intimamente relacionado a outro importante fitocanabinoide bioativo: o tetra-hidrocanabinol (THC), o composto que causa o dito barato pela qual a cannabis é famosa. Estes são os dois componentes da cannabis que foram mais estudados pelos cientistas.

Tanto o CBD quanto o THC têm atributos terapêuticos significativos. Mas, diferentemente do THC, o CBD não faz uma pessoa se sentir “chapada” ou intoxicada. Isso ocorre porque o CBD eo THC agem de maneiras distintas em diferentes receptores no cérebro e no corpo.

O CBD pode realmente diminuir ou neutralizar os efeitos psicoativos do THC, dependendo de quanto de cada composto é consumido. Muitas pessoas querem os benefícios de saúde da cannabis sem a sensação de chapação – ou com menos barato.

O fato de o CBD ser terapêuticamente potente, além de não intoxicante e fácil de usar na forma de óleo, o torna uma opção de tratamento atraente para quem é cauteloso ao experimentar cannabis pela primeira vez.

CBD: a molécula multiuso

Muitas pessoas estão buscando alternativas aos produtos farmacêuticos com efeitos colaterais adversos – remédios mais sincronizados com os processos naturais. Ao explorar como funcionamos biologicamente em um nível profundo, o CBD pode fornecer alívio para dores crônicas, ansiedade, inflamação, depressão e muitas outras condições.

Uma extensa pesquisa científica – grande parte patrocinada pelo governo dos EUA – e a montagem de relatos anedóticos de pacientes e médicos destacam o potencial do CBD como tratamento para uma ampla gama de doenças, incluindo (mas não limitado a):

• Doenças autoimunes (inflamação, artrite reumatóide)
• Condições neurológicas (Alzheimer, Demências, Parkinson, Esclerose Múltipla, Epilepsia,Coreia de Huntington, Acidente Vascular Cerebral, Lesão Cerebral Traumática)• Síndrome Metabólica (Diabetes, Obesidade)
• Doenças Neuropsiquiátricas (Transtorno do Espectro autista, TDAH, TEPT, Alcoolismo)
• Distúrbios intestinais (Colite, Doença de Crohn)
• Disfunção Cardiovascular (Aterosclerose, Arritmia)
• Doenças de pele (Acne, Dermatites, Psoríase)

O CBD provou efeitos neuro-protetores e suas propriedades anticâncer estão sendo investigadas em vários centros de pesquisa acadêmica nos Estados Unidos e em outros países. Um estudo de câncer cerebral de 2010 realizado por cientistas da Califórnia descobriu que o CBD “aumenta os efeitos inibitórios do THC na proliferação e sobrevivência de células de glioblastoma humano”.

Isso significa que o CBD torna o THC ainda mais potente como substância anticâncer. Também em 2010, pesquisadores alemães relataram que o CBD estimula a neurogênese, o crescimento de novas células cerebrais, em mamíferos adultos.

Como funciona o CBD?

Uma das principais maneiras pelas quais CBD e THC nos afetam é imitando e aumentando os efeitos dos compostos em nossos corpos chamados “canabinoides endógenos” – assim chamados por causa de sua semelhança
com os compostos encontrados na planta de cannabis.

Esses “endocanabinoides” fazem parte de um sistema regulatório chamado “sistema endocanabinoide”. A descoberta do sistema endocanabinoide avançou significativamente nossa compreensão de saúde e doença.

Ele tem implicações importantes para quase todas as áreas da ciência médica e ajuda a explicar como e por que o CBD e o THC são compostos tão versáteis – e por que a cannabis é uma planta que altera o humor e é amplamente consumida, apesar de seu statusi legal.

O sistema endocanabinoide desempenha um papel crucial na regulação de uma ampla gama de processos fisiológicos que afetam nossa experiência cotidiana – nosso humor, nosso nível de energia, nosso trânsito intestinal, atividade imunológica, pressão arterial, densidade óssea, metabolismo da glicose, como sentimos dor, estresse, fome e muito mais.

O que acontece se o sistema endocanabinoide não funcionar corretamente Quais são as consequências de um sistema endocanabinoide cronicamente deficiente ou hiperativo? Em uma palavra: doença.

A ciência de qualidade mostrou que o sistema endocanabinoide está desregulado em quase todas as condições patológicas. Portanto, é lógico que “a atividade moduladora do sistema endocanabinoide pode ter potencial terapêutico em quase todas as doenças que afetam os seres humanos”, como sugeriram em uma publicação de 2014 Pal Pacher e George Kunos, cientistas do Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH).

Modulando o sistema endocanabinoide e melhorando o tônus ​​endocanabinoide, o CBD e oTHC podem retardar – ou, em alguns casos, parar – a progressão da doença.

CBD farmacêutico

Há muita emoção sobre o potencial de cura do CBD – por um bom motivo. Mas foi apenas em 25 de junho de 2018 que a FDA (a Anvisa dos EUA) reconheceu o canabidiol como um medicamento real ao aprovar o Epidiolex, uma formulação farmacêutica quase pura do CBD, como tratamento para dois distúrbios graves de convulsão pediátrica, o Lennox- Síndrome de Gastaut e síndrome de Dravet.

Essa foi a primeira vez desde o pico da era do movimento “reffer madness” há 80 anos – quando a “maconha” se tornou um crime em vez de uma cura – que o governo federal deu um sinal de positivo para um produto derivado da cannabis.

Em resposta à decisão histórica da FDA, a Drug Enforcement Administration (DEA) anunciou em setembro de 2018 que havia removido o Epidiolex da classificação do Anexo I, uma categoria reservada a medicamentos perigosos sem valor médico. Daí em diante, o Epidiolex seria considerado um medicamento do Anexo V, a designação menos perigosa sob a Lei de Substâncias Controladas.

Mas a DEA manteve a própria maconha e CBD no Anexo I como um narcótico ilegal. No mundo, de acordo com o Tio Sam, o CBD farmacêutico é oficialmente o único canabinoide bom, enquanto o restante da planta continua sendo uma erva ‘maligna’.

Dada a reputação da CBD como um remédio artesanal popular, alguém poderia pensar que o Epidiolex exigiria muita atenção “off label”. Afinal, os médicos geralmente prescrevem medicamentos fora do rótulo para tratar condições que não eram o foco real dos ensaios clínicos. Mas o preço alto do Epidiolex (mais de US$ 30.000 por ano, o que equivale a aproximadamente 10 mil reais por mês) impede a prescrição e o acesso a preços justos para dezenas de milhões de americanos sem seguro de saúde.

Óleo de CBD

Para aqueles que não conseguem obter CBD farmacêutico, existem inúmeras lojas na Internet, mercados comunitários, cafeterias, academias, consultórios de quiropraxia, butiques de luxo e postos de gasolina que vendem vários produtos derivados de cânhamo, incluindo isolados de CBD puro comparáveis ​​em produtos químicos maquiagem para Epidiolex.

Os produtos derivados do óleo CBD e as flores com níveis variados de THC e CBD também estão disponíveis para fumar ou vaporizar nos dispensários de cannabis nos estados que legalizaram a erva para uso terapêutico.

Em resposta à demanda massiva do consumidor, um mercado enorme e não regulamentado de derivados de CBD alcançou uma massa crítica em 2018. Uma onda de interesse do consumidor em tudo o que o CBD foi repentinamente digno de nota com hosanas de elogios vindos de atletas, estrelas de cinema, mães de futebol e pais de crianças desesperadamente doentes.

O óleo CBD tem sido apontado como curativo para os doentes e preventivo para os saudáveis, um paliativo para todos os fins, tanto para animais de estimação quanto para pessoas de todas as idades. Mas, juntamente com uma crescente conscientização do canabidiol como um potencial auxiliar de saúde, também houve uma proliferação de conceitos errôneos sobre a terapêutica com CBD e cannabis.

O desafio do CBD

CBD é uma molécula, não um milagre. Muitas pessoas poderiam se beneficiar significativamente do acesso legal a uma ampla gama de remédios para cannabis, não apenas a produtos com pouco THC ou sem THC.

O CBD sozinho nem sempre pode fazer o truque. Há evidências convincentes de que o CBD funciona melhor em combinação com THC e todo o espectro de outros componentes da cannabis. Descobrir como otimizar o uso terapêutico de cannabis é a força motriz por trás do grande experimento de laboratório em democracia conhecido como maconha medicinal que vem desenvolvendo estado por estado e país por país nos últimos anos.

O advento de potentes concentrados de óleo de cannabis, produtos ricos em CBD não intoxicantes e sistemas inovadores de distribuição de vapor sem combustão transformou o cenário terapêutico e mudou a conversa pública sobre a cannabis.

Não é mais uma questão de debater se a maconha tem mérito como medicamento à base de plantas – hoje o principal desafio é discernir como utilizá-la para obter o máximo benefício terapêutico. Dado seu perfil de baixo risco, muitas pessoas estão usando o CBD como uma terapia complementar aos seus planos de tratamento existentes.

Mas a maioria dos profissionais de saúde conhece pouco sobre terapêutica com CBD ou cannabis e não possui experiência suficiente para aconselhar adequadamente os pacientes sobre dosagem, modos de administração, sinergias com CBD / THC e quaisquer fatores de risco, incluindo interações com outros medicamentos.

Em vez disso, o ônus tem sido uma comunidade pequena de pacientes autossuficientes, famílias de apoio e alguns médicos pioneiros que aprenderam muito por tentativa e erro e compartilharam informações sobre como navegar por caminhos promissores da terapia com cannabis.

E o CBD do cânhamo?

O que começou como uma rebelião populista de base contra a proibição da cannabis se transformaria em um mercado de bilhões de dólares catalisado pela redescoberta do CBD como uma opção de bem-estar. O óleo CBD está em alta e parece que todos – benfeitores e aproveitadores – querem uma parte da ação.

O CBD também catalisou o renascimento da indústria de cânhamo dos EUA, que ficou adormecida por décadas por causa da política da guerra às drogas. O Farm Bill de 2018 inclui uma disposição que legaliza o cultivo de cânhamo (cannabis com menos de 0,3% de THC) em grande parte por causa da popularidade e força econômica do CBD.

O cultivo de cânhamo é agora uma commoditie agrícola legítima nos Estados Unidos. Mas a extração de óleo rico em CBD da biomassa de cânhamo e a comercialização de óleo de CBD se concentram e isolam para etapas de ingestão e inalação nos dedos da Big Pharma e são desaprovadas pelo DEA e pelo FDA.

Legalidades à parte, o canabidiol derivado do cânhamo está a apenas um clique do mouse ou a um telefone para quem estiver disposto a jogar os dados e comprar produtos derivados de CBD fabricados com pouca supervisão regulatória.

A vantagem de tudo isso é o fácil acesso ao óleo CBD; a desvantagem é a qualidade inconsistente. Muitos produtos derivados de cânhamo são classificados incorretamente quanto ao conteúdo de canabidiol e THC. E o óleo CBD mal processado pode estar contaminado com resíduos de solventes tóxicos, pesticidas, xarope de milho, sabores e cores artificiais e outros contaminantes.

Felizmente, produtos de óleo de CBD de boa qualidade também estão disponíveis para o consumidor consciente – o leitor de etiquetas, o pesquisador da marca – que entende que a maconha e o CBD são mais bem utilizados como parte de um estilo de vida saudável.

Traduzido e revisado por Wilson Lessa Júnior, devidavemente autorizado por Martin A. Lee, diretor do Projeto CBD e autor de Smoke Signals (Sinais de Fumaça: Uma História Social da Maconha – Médica, Recreativa e Científica) e diretor do portalprojectcbd.com

Matéria origial publicada no site Sechat, 11 de Novembro de 2019, publicação autorizada.

Link oficial da matéria: https://sechat.com.br/afinal-o-que-e-o-canabidiol-ou-cbd/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *